Para superar um muro alto, cachorro sobe em banquinho para ‘fofocar’ com os cães vizinhos

Até os animais são fofoqueiros, mais fofoqueiros amigos fofoqueiros inocentes. Esses são os meus melhores amigos. Esses amigos não traem, não puxam tapetes de ninguém, não são traíras.

Animais são puros, certas comparações com atitudes erradas do ser humano não mesmo! Ele está em cima do banquinho pra beijar cheirar seu vizinho! 

Um cachorro ganhou um banquinho para poder observar o que aconteceu no quintal vizinho, cuja visão é encoberta por um muro alto. Ele aproveita o “auxílio” para observar os cachorros da casa ao lado, fofocar e colocar a conversa em dia. 

De um lado do muro, estão Vito e Bambino, dois dogues alemães (um preto e outro arlequim)) que não têm problemas para espiar o quintal do vizinho – um macho da raça atinge facilmente os 85 cm de altura na cernelha e Freddy, o maior cachorro do mundo, de acordo com o Livro Guinness dos Recordes, era um dogue alemão (ele atingia mais de dois metros quando levantava as patas dianteiras). 

Do outro lado, está Giuseppe. Ele não pode ser considerado pequeno – trata-se de um retriever do Labrador chocolate, e os cães da raça ultrapassam os 60 cm de altura. Mesmo assim, Giuseppe tinha dificuldades para superar o obstáculo e conversar com os colegas do outro lado. 

Em março de 2020, Giuseppe e Vito ganharam um novo vizinho, com a mudança da família de Bambino para a casa vizinha. 

A chegada de um cachorro diferente causou excitação entre os dogues alemães – afinal, novas amizades são sempre bem-vindas. Para o Labrador, no entanto, as coisas não saíram tão bem: ele não conseguia vir o que acontecia do outro lado. 

O muro é muito alto e, o cachorro vizinho ficava tentando pular e farejar os novos amigos.

Então, a família de Giuseppe teve uma grande ideia: instalar um banquinho junto ao muro, para que o Labrador pudesse “conversar” livremente com os amigos, sem necessidade de pular ou seguir rastros. 

Robert Carnes, tutor do Labrador, diz que Giuseppe pulava furiosamente para tentar avistar o quintal ao lado e ele sempre pensava consigo mesmo: “Se pelo menos ele tivesse um banquinho…” Então, ele se lembrou de que tinha um banquinho sobrando.

Os filhos de Robert encostaram o banquinho no muro e Giuseppe rapidamente entendeu a utilidade do móvel. Ele escalou o banco de plástico e conseguiu papear à vontade.

Robert fotografou a cena e enviou o registro para Afton, que aprovou totalmente a ideia. 

A amizade dos cães estendeu-se para as duas famílias humanas. Desde que o banco foi “inventado” junto ao muro, os dois tutores decidiram passear juntos com os três cães, que, em alguns minutos diários, não têm obstáculos para demonstrar o quanto se gostam. 

Com cachorros, eu não aprendi apenas como é ter um animal de estimação, e sim a ter um amigo de verdade. Essa casa é cheia de beijos, rabos que balançam, focinhos molhados e muito amor.

Ame e respeite seu cachorro todos os dias, ele é o único que vai te receber com amor, carinho e felicidade mesmo depois de você deixá-lo sozinho o dia inteiro.

SE VOCÊ GOSTOU, DEIXE O SEU LIKE, COMENTA AQUI EM BAIXO O QUE VOCÊ ACHOU! E COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS! OBRIGADA! 

Comentário do usuário